Skip to main content

Quem quer, quentes e boas!

Em dia de magusto, o aroma das castanhas assadas invadiu a Quinta.

Este ano, em vez de contada, a lenda de S. Martinho foi cantada e acompanhada em coro pelas crianças que nos visitaram. Reza a lenda que este jovem cavaleiro, encontrou um pobre cheio de frio que lhe estendeu a mão gelada para pedir esmola. S. Martinho, com a espada, cortou a capa, deu metade ao mendigo e prosseguiu o seu caminho. Logo de seguida amainou o frio, o céu ficou descoberto e o sol inundou a terra de luz e calor. É daí que surge a expressão do “Verão de S. Martinho”, que nos é concedido todos os anos, para lembrar que devemos partilhar, como fez S. Martinho. 

E nada melhor para celebrar esta data, do que partilharmos castanhas assadas no nosso forno a lenha! O aroma das e castanhas invadiu a Quinta, ao som do descascar das castanhas estaladiças. Faltou a tradicional "água-pé" ou "jeropiga", bebidas de fabrico caseiro, que acompanham estes festejos, mas que, na Quinta, deixamos para os mais crescidos. 

No nosso magusto, fomos também presenteados, pelo grupo de crianças do 1º Ciclo do Colégio "O Bosque", que nos trouxeram vários pregões e expressões típicas desta data. Deixamos aqui algumas:

“Dia de são martinho, lume, castanhas e vinho!”

“Pelo São Martinho prova o teu vinho, ao fim de um ano já não faz dano!”

“No dia de São Martinho, fura o teu pipinho!”

“No dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho!”

“Quem quer quentes e boas! Quentinhas!"