Skip to main content

Semana da Primavera

De 19 a 25 de março, vamos abrir as portas à estação mais colorida do ano e criar um jardim vertical.

O jardim vertical ficará mesmo junto ao Hotel para Insetos e o objetivo é oferecer mais alimento aos insetos polinizadores, convidando-os a passar uma temporada mais alargada aqui na Quinta.

Em Portugal existem mais de 1000 espécies deste insetos, entre abelhas, abelhões, vespas, moscas das flores, borboleta, mosquitos e muitos outros, sendo os principais responsáveis pela manutenção das áreas naturais e de grande parte das culturas agrícolas. Estes insetos polinizadores têm um papel fundamental na natureza para a propagação das espécies vegetais, pois transportam o pólen entre flores, possibilitando a reprodução de plantas e a formação de frutos e sementes. Cerca de 75% das plantas cultivadas dependem dos polinizadores. No entanto, estão, cada vez mais, sujeitos a várias ameaças à sua conservação.

Durante esta semana, na atividade “Insetos, amigos improváveis” queremos sensibilizar escolas e famílias para esta temática e para a importância da conservação das populações de insetos polinizadores, reconhecendo o papel de cada um na sua proteção e preservação. 

Mas há mais, na nossa estufa será possível ver a exposição “O dom e o devir das sementes”, um trabalho de catalogação de espécies hortícolas de 25 hortelãos da cidade de Lisboa, que escolheram a sua planta de eleição. “O dom e o devir das sementes” é um módulo que, originalmente, integrou a exposição “Hortas de Lisboa”, criada com o objetivo de revisitar o passado hortícola da cidade e olhar para um futuro sustentável com hortas na paisagem urbana. Esta exposição foi criada em 2021, no âmbito da "Lisboa, Capital Verde" e esteve patente no Museu da Cidade.

Na semana em que se assinala o Dia da àrvore, não podíamos fugir à tradição. Vamos plantar uma árvore, mas, desta vez, terá um simbolismo muito especial. Neste contexto de guerra, que não deixa ninguém indiferente, escolhemos o ginkgo biloba, uma árvore que, principalmente no Oriente, é considerada um símbolo de paz, esperança e longevidade. É uma espécie extremamente resistente, existe há cerca de 200 milhões de anos, e sobreviveu à radiação da bomba de Hiroshima. Este gingko biloba será plantado junto ao Jardim das Aromáticas e este momento será registado com a colocação de uma placa em cerâmica, onde é possível ler a palavra Paz em várias línguas.