Skip to main content

Horta

Quinta que sem horta, não é quinta!

A horta, com uma área aproximada de 600m2, é um espaço onde cultivamos não só uma grande diversidade de legumes e hortaliças tradicionais e de época, mas também algumas espécies menos conhecidas em Portugal. Através da aplicação de um sistema agrícola diverso, eficiente e sustentável, as nossas plantas crescem sem recurso a químicos de síntese. Neste espaço natural e muito dinâmico, é possível observar:

  • Associações de culturas (presença de duas ou mais espécies num canteiro);
  • A cobertura do solo pela técnica de “Mulching” (empalhamento);
  • A fertilização natural do solo com composto;
  • A rega gota-a-gota;
  • Canteiros com leguminosas, num esquema de rotação de culturas e enriquecimento em azoto do solo;
  • Canteiros com culturas anuais, tais como couves, alfaces, abóboras, morangueiros, etc.;
  • Zona de sebes vivas com árvores, arbustos e ervas silvestres;
  • Zona de plantas aromáticas e medicinais.

Além dos legumes e hortaliças, podemos ver bananeiras, cana-de-açúcar, pera-melão, o tamarilho, o sapote branco e bagas gogi. Apesar destas serem espécies exóticas, aqui encontram condições para um bom desenvolvimento.

Ao fundo da horta, deparamo-nos com um espigueiro, estrutura tradicional que encontramos, maioritariamente, no Minho e em Trás-os-Montes, construída, habitualmente, em pedra e madeira, e utilizada para guardar as espigas de milho. No caso deste espigueiro, funciona como espaço de arrumação de ferramentas agrícolas, armazenamento de sementes e de produtos fitofarmacêuticos, permitidos na prática da agricultura biológica.

A horta é, ainda palco da atividade “Agricultura Sustentável” que dá a conhecer as diferentes fases do processo de produção de alimentos vegetais e a importância da prática de uma agricultura em equilíbrio com a natureza.