Skip to main content

Porcos

Mas os porcos não são cor-de-rosa? Esta é uma das perguntas que mais ouvimos aqui na Quinta. A verdade é que não, muitos deles não são. É o caso dos que vivem agora na Quinta, duas fêmeas e um macho, pertencentes à raça Bísara, uma raça autóctone portuguesa.  Originários do norte e centro de Portugal, principalmente da região transmontana, podem também encontrar-se algumas explorações no Minho, Douro Litoral e Beira Litoral.

Os porcos de raça Bísara caracterizam-se pelo temperamento bastante dócil e pelos movimentos pouco graciosos e vagarosos. São animais de estatura grande, pelagem malhada, pele grossa e com cerdas (pêlos) compridas, grossas e abundantes. As orelhas são comprida e voltadas para a frente, dando-lhe um aspeto característico. São muito férteis, tendo, em média, 12 leitões por ninhada. Como omnívoros que são, alimentam-se de produtos de origem vegetal e animal, podendo até dizer-se que “comem de tudo”.

Em tempos, o Bísaro sofreu uma drástica diminuição no seu efetivo, mas, pouco a pouco, foi recuperando a sua posição. Com as raças Alentejana e Malhado de Alcobaça constituem as três raças autóctones de suínos portugueses.

É muito frequente vê-los a fuçar o solo para obter raízes e pequenos animais, tais como minhocas e lesmas. Rebolar no chão é outra das suas atividades preferidas, formando, quando a terra está molhada, uma camada protetora contra as elevadas temperaturas que se fazem sentir durante o verão. Embora não fiquem muito limpos, este comportamento é essencial para estes animais, dada a ausência de glândulas sudoríparas.